PARALISIA FACIAL

A expressão facial está intimamente relacionada à nossa comunicação, seja ela gestual ou verbal. Para que consigamos transmitir o que pensamos por meio dessa expressão, é fundamental a integridade dos músculos da face e sua inervação. Tais músculos também são responsáveis por movimentos bem simples, como piscar os olhos ou dar um beijo.

No entanto, lesões podem ocorrer, seja por tumor ou trauma, por exemplo. Nesses casos, temos a paralisia facial, que é a perda temporária ou permanente da sensibilidade e da movimentação da musculatura facial.

A paralisia pode ser percebida por:
- assimetria facial (boca torta, mais evidente ao sorrir);
- diminuição da sensibilidade;
- boca seca;
- impossibilidade de fechar completamente um dos olhos;
- dor na mandíbula;
- dificuldade em reter a saliva na boca.

É importante que se busque ajuda médica o mais rápido possível quando se há uma paralisia. Além disso, é importante também que a fonoterapia se inicie o quanto antes para que se minimizem as sequelas tanto motoras quanto sensitivas, promovendo a melhora das funções oromiofuncionais.

Dúvidas para: fgafernanda@gmail.com

FERNANDA FERREIRA – CRFa 11161
Bacharel em Fonoaudiologia pela UFRJ, Pós-graduada em Psicomotricidade pela UCAM, Mestre em Psicologia pela UFRJ.
Telefone: 8152-9333 / 7852-0977

P A T R O C I N A D O R E S
Quem Somos | Fale Conosco | Anuncie Aqui
© Copyright 2014